Notícias

Estou com a natureza?

05/06/2017 - Liliane de Moura Borges

O tema do Dia Mundial do Meio Ambiente em 2017 é “Conectando as pessoas à natureza”, a ideia é pensar sobre o modelo predatório de desenvolvimento. O que nos leva a refletir profundamente sobre a lógica: explorar-extrair-construir-consumir. Consumir! E aí o slogan “Estou com a natureza” rapidamente conquista adeptos porque está na moda defender o meio ambiente. Agora pergunto: esses adeptos estão dispostos a consumir de modo responsável e consciente?

Cada pessoa tem uma parcela de responsabilidade na cadeia produtiva desde o nascimento da ideia do produto até o descarte. E o consumidor é peça fundamental nesse processo. Tudo é criado pensando em agradar os diversos públicos alvos e como marionetes as grandes corporações brincam com o designer, ludibriam com as cores, envolvem com o marketing e o consumidor desavisado consome irremediavelmente e descarta irresponsavelmente contribuindo para que o desenvolvimento predatório se perpetue. Ao consumir o indivíduo precisa ponderar fazendo-se duas perguntas básicas:

1 - Será que eu preciso mesmo disso?

2 – Onde vou pôr o que sobrar do que já usei?

Ao se fazer a primeira pergunta evita comprar por impulso e escapa do endividamento e do desperdício, já no segundo questionamento faz uma reflexão sobre o descarte, possibilitando agir de maneira responsável com o meio ambiente, promovendo a separação do lixo e a destinação adequada, colocando em prática alguns dos inúmeros “Rs” – Repensar-Recusar-Reusar-Reaproveitar-Reduzir-Reciclar.

A campanha visa impulsionar os esforços para a conservação do meio ambiente, transformando ações individuais em uma força coletiva que tenha verdadeiro e duradouro legado de impacto positivo para o planeta.

Uma vez conhecedor dos seus direitos o Consumidor também deve estar atento ao seu dever de consumir de modo responsável e consciente pois suas atitudes refletem diretamente no meio ambiente. “Estar com a natureza” significa mudar sua atitude mental e disciplinar hábitos de consumo. E aí você realmente quer estar com a natureza?

 

A autora é professora universitária eTécnica em Defesa do Consumidor

Compartilhe esta notícia