Notícias

Núcleo do Procon participa de audiência pública na Câmara de vereadores em Gurupi

25/10/2017 - Luciene Lopes/Governo do Tocantins

Na noite desta terça-feira, 24 o Procon/TO participou da audiência  pública, no plenário da Câmara Municipal de Gurupi. A ação, proposta pelo vereador Sargento Jenilson (PRTB) reuniu representantes de bancos privados, público, correspondentes bancários, da procuradoria do município, do Procon e os vereadores Ataíde Leiteiro (PSD), Eduardo Fortes (PSDB), Ivanilson Marinho (PMDB) e Mirian Lustosa (PMDB).

As propostas deliberadas ao final da audiência pública foram: alteração da lei municipal 1.367/2000 e 1.522/2002 do Procon Estadual estendendo, a normatização sobre o tempo em filas, aos correspondentes bancários e casas lotéricas; disponibilizar até trinta dias (30) para que as agências e correspondentes bancários, Poder Público e usuários enviem sugestões e propostas para melhorias dos serviços; fica instituído ao poder executivo noventa dias (90) para apresentar minuta da resolução 1.367 e 1.522/2002 e

encaminhar requerimento de bancada da câmara municipal de Gurupi aos Superintendentes do banco do Brasil e da CEF do Tocantins solicitando reativação das agências inativas.

Durante a audiência buscou-se encontrar soluções para melhorar o relacionamento entre prestadores de serviços bancários e clientes, principalmente, com relação ao tempo de espera nas filas de atendimento. “Temos recebido diversas reclamações, por esse motivo resolvemos promover essa audiência, para ouvirmos tantos os bancos, quanto o município e Procon”, justificou o vereador Sargento Jenilson.

De acordo com o gerente regional do núcleo do Procon, em Gurupi, Cleicivon Martins, só esse ano já são mais de 250 reclamações registradas e 91 formalizadas referentes a serviços de atendimento bancário. “A maioria das reclamações e denúncias são referentes ao tempo de espera para atendimento”, apostando que com a audiência  os prestadores de serviço reveja suas práticas a fim de apresentar ao cliente uma resposta que atenda, satisfatoriamente, sua demanda, que é ficar o mínimo de tempo em filas.

Para o gerente-geral da Caixa Econômica Federal (CEF), em Gurupi, João Antônio Calixto, neste ano um dos motivos responsáveis pela grande maioria das reclamações dos usuários da CEF foi à liberação dos saques das contas inativas, gerando enormes filas.

“Foi a maior operação planejada e executada pela Caixa Econômica em toda a sua história. Em Gurupi tenho certeza que pelo menos 80 mil pessoas passaram pela agência nesse período e dessas apenas 20 mil tinham saldo do FGTS inativo, mas infelizmente as pessoas não usam os canais alternativos para realizarem a consulta. E agora temos a liberação do PIS que também tem gerado filas”, defendeu. (Com informações da ascom da Câmara de Gurupi)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe esta notícia