Notícias

Dia da Criança - Procon orienta  consumidores  na hora da aquisição de brinquedos

10/10/2017 - Luciene Lopes/Governo do Tocantins

Considerando que a venda de brinquedos também está sujeita ao Código de Defesa do Consumidor (CDC) e o “Dia das crianças chegando”, o PROCON/TO orienta  os consumidores/pais e quem for presentear alguma criança evitarem situação embaraçosa durante e após a compra do produto.

Dentre as observações, o consumidor deve ficar atento a embalagem dos produtos, o manual de instruções que precisa informar a faixa etária a que se destina o brinquedo, eventuais riscos que possa vir apresentar, número de peças, regras de montagem, modo de usar, se faz parte de uma série ou coleção e a clara identificação do fabricante ou do importador.

Origem

Quanto a legitimidade dos produtos, o Procon  orienta  evitar a aquisição de brinquedos piratas. Além de não atenderem os padrões de qualidade exigidos no Brasil, a compra pode parecer vantajosa, mas há casos que a tinta do produto é tóxica, a resistência do brinquedo é baixa, podendo ocasionar acidentes graves devido o desprendimento  de peças pequenas que, dependendo da faixa etária da criança, podem ser levadas a boca.

De acordo com gerência de Educação para o Consumo do Procon/TO, a atenção do consumidor também deve estar voltada para outros cuidados como, o selo do inmetro,  e  instruções de uso.  

Certificação e instruções

Quanto ao selo do Inmetro, o gerente José Santana Júnior explica que, sejam nacionais ou importados, o selo deve estar visível, impresso na embalagem, gravado ou numa etiqueta afixada no produto, e conter a marca do Inmetro e o logotipo do organismo acreditado pelo Inmetro que o certificou. Caso o brinquedo esteja sem o selo do Inmetro, denuncie ao PROCON pelo número 151.

Sobre as instruções de uso, Santana destaca que “é importante saber como se deve usar o brinquedo. Para isso, a leitura das instruções de uso, presentes na embalagem ou em seu interior, são tão importantes quanto o repasse destas instruções para a criança. É fundamental que os pais também supervisione o uso”, esclareceu  observando que todos os cuidados apontados não devem anular o gosto da criança e sua faixa etária que é avaliada de acordo com o desenvolvimento motor, cognitivo e comportamental.

O superintendente do Procon/TO,  Nelito Vieira Cavalcante  faz uma alerta  importante sobre o manuseio dos brinquedos. Ele explica que os comerciantes devem manter uma amostra aberta no estabelecimento para que os clientes possam melhor avaliar o produto. E quanto a possibilidade de troca de produtos sem defeito, “essa medida deve ser uma escolha da loja. Portanto, sempre confirme se existe a opção de a mercadoria ser trocada e também lembre sempre de  guardar o comprovante da compra”, finalizou.

 

 

Compartilhe esta notícia